ENERSOLAR+BRASIL 2017: o futuro das energias renováveis


A 6ª edição da Feira Internacional de Tecnologias para Energia Solar, realizada de 23 a 25 de maio de 2017, reuniu a cadeia de energia solar, eólica, biomassa, GTDC e afins em um grande encontro do setor


Conhecimento, debates e geração de oportunidades de negócio marcaram a 6ª edição da EnerSolar + Brasil | Feira Internacional de Tecnologias para Energia Solar, realizada no São Paulo Expo, em São Paulo.

Em mais uma edição a feira mostrou sua força ao mercado ao trazer novidades tecnológicas para toda a cadeia de energia solar, eólica, biomassa, GTDC e afins, e se consolidou como plataforma única de conteúdo qualificado através da realização simultânea do 7º Ecoenergy | Congresso de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia.

“A EnerSolar + Brasil 2017 trouxe resultados expressivos acompanhando a tendência do setor de energias renováveis. Foram mais de 80 expositores, nacionais e internacionais, com tecnologia de ponta e produtos diferenciados”, afirmou Rimantas Sipas, Diretor Comercial da Cipa Fiera Milano, organizadora da feira e do Congresso.

O Ecoenergy também ganhou destaque ao trazer ampla programação com mais de 40 palestras, unindo ao longo de três dias lideranças empresariais, presidentes de associações do setor de energias renováveis e profissionais da área. “O Ecoenergy fomentou debates com foco em negócios, tecnologia e aspectos jurídicos e, de acordo com feedback espontâneo dos empreendedores, superou as expectativas e contribuirá para a construção de parcerias no desenvolvimento de projetos em energias renováveis”, explicou Tatiana Dalben, Coordenadora do Ecoenergy.

Destaque para as novas tecnologias e capacitação

O 7º Ecoenergy | Congresso de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia apresentou temas variados e importantes quando o assunto é energia renovável. O objetivo do Congresso é gerar discussões de onde possam surgir novas oportunidades e projetos que atendam a demanda de energia através de métodos menos poluentes e gerando menor impacto ambiental.

As palestras e debates com especialistas envolveram mais de 20 temas atuais relacionados diretamente à energia renovável: financiamento de projetos, questões regulatórias, avanço tecnológico, complementaridade com outras fontes de energias renováveis, superação de gargalos e capacitação de equipe.

As transformações ocorridas no setor energético brasileiro têm incentivado o crescimento das fontes renováveis. A participação destas fontes totaliza 41,2% na matriz energética nacional, indicador quase três vezes superior ao indicador mundial (13,8%). Os dados constam no boletim “Energia no Mundo”, divulgado anualmente pela Secretária de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME).

Na programação foi apresentado e discutido o grande potencial de mercado que o Brasil apresenta, em especial, no campo de energia eólica e solar fotovoltaica. Sandro Yamamoto, Diretor Técnico da ABEEólica – Associação Brasileira de Energia Eólica, apontou que “o Brasil possui um dos melhores ventos do mundo, com ótima intensidade, livre de rajadas, constante e predominância de direção”. No ano passado, a energia eólica abasteceu, em média, 17 milhões de residências mensalmente, ou seja, uma população de cerca de 52 milhões de pessoas. Em 2016, a geração de energia eólica foi de 33,15 TWh, valor este 55% maior que o de 2015. Neste período a indústria eólica foi responsável pelo investimento de US$ 5,4 bilhões. Hoje, a energia eólica no Brasil, possui 11,03 GW de potência instalada, são 443 parques, com mais de 5.700 aerogeradores. É responsável por 7,1% da matriz elétrica brasileira.

Já no campo da energia solar fotovoltaica, as oportunidades apresentadas também foram inúmeras. Recentemente, a micro e minigeração distribuída atingiram a marca de 111 megawatts (MW) instalados, dos quais 77,6 MW são provenientes da fonte solar fotovoltaica. Durante as discussões, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), com base nos dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mostrou um mapeamento onde o Brasil já conta com o número recorde de mais de 10 mil instalações de geração distribuída em todo o país.

Dados do EPE – Empresa de Pesquisa Energética, mostraram que o potencial técnico da geração distribuída solar fotovoltaica representa mais de 164 gigawatts (GW), considerando-se apenas os telhados de residências. Um enorme potencial através de uma tecnologia renovável e de baixo impacto ambiental. Outro dado exibido por Nelson Colaferro Jr., Presidente da ABSOLAR, é a estimativa que em 2025 o Brasil produzirá 7 GW de energia solar fotovoltaica, o que corresponderá à 3,3% da matriz energética. Em 2030 serão 17 GW, ou 6,8% da matriz.

Outros tópicos importantes colocados em debate foram a questão dos financiamentos, com o painel “Oferta de financiamento para empreendedores de energia solar e eólica”; e a capacitação de mão-de-obra “Como o país está se preparando e oportunidades de trabalho no mercado de energias renováveis”.

Biomass Day: programação exclusiva dedicada à energia de biomassa

O Congresso ainda cotou com o inédito Biomass Day. Integrado à programação do segundo dia do Ecoenergy trouxe palestras e debates dedicados exclusivamente ao mercado de energia de biomassa. O Biomass Day abordou importantes temas, com especialistas do setor como a produção de energia elétrica a partir da biomassa, eficiência energética, manutenção de motores e turbinas, parcerias estratégicas e estudos de caso.

Atualmente, a biomassa é a segunda fonte de geração mais importante do Brasil na Oferta Interna de Energia Elétrica (OIEE) – com o registro de 8,8% em 2016, superando os 8,1% de participação do gás natural.  As informações são do Boletim Mensal de Energia (referência – dezembro/2016) elaborado pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

Techshow – Palestras dos Expositores

Cerca de 15 temas foram abordados no Techshow. Ministradas pelos expositores da feira, as palestras que fizeram parte da programação, abordaram temas importantes para as energias renováveis, com foco em apresentar novas tecnologias e oportunidades de mercado. Entre os tópicos: Geração Distribuída no Brasil; Produção de Energia Solar no Brasil; Linha de crédito do Governo do Estado para Energia Sustentável, Sistemas de Inversores para Geração Distribuída; Baterias Estacionárias Freedom Controls; Geração Distribuída Aplicada; Inversores Ongrid; Demanda e Formação de Profissionais para o setor de energia solar fotovoltaica.

ENERSOLAR+BRASIL 2017

A próxima edição já tem data marcada: 22 a 24 de maio de 2018, no São Paulo Expo, em São Paulo. Acompanhe as novidades nas redes sociais e site do evento: enersolarbrasil.com.br

Cipa Fiera Milano Press Office
RM Press | Comunicação Estratégica

Claudia Maciel
+55 11 2950-4820
claudia.maciel@rmpress.com.br

Clique aqui para download